238

242

Aluno com câncer: desafios emocionais

SEUS SENTIMENTOS

O planejamento para o retorno do aluno à aula pode fazer com que você aborde seus sentimentos sobre doenças potencialmente fatais. Você pode achar útil compartilhar suas preocupações com um médico, assistente social ou enfermeira do centro de tratamento do aluno. A sua própria escola pode ter uma enfermeira da escola, um conselheiro de aluno ou uma enfermeira de saúde pública que possa prestar assistência. Também pode haver colegas que tenham experiências que possam compartilhar com você. Não importa o quão preparado você esteja, ter um aluno com câncer na turma pode ser emocionalmente exigente e desgastante. Pode haver momentos em que você se sente desequilibrado ou deprimido com a situação do aluno. Pode ajudar saber que os profissionais de saúde que trabalham com pacientes jovens também são vulneráveis a essas emoções e dependem uns dos outros e de fontes externas de apoio. Lembre-se de que você faz parte de uma equipe que inclui pais, equipe do centro de tratamento, outra equipe médica e outros membros da equipe da escola. Seja trabalhando com seus próprios sentimentos, procurando conselhos ou compartilhando perdas, apoio e orientação devem estar disponíveis de outros membros da equipe.

SENTIMENTOS DOS PAIS

Ao conversar com os pais, geralmente uma abordagem direta é melhor. A maioria dos pais quer que os professores perguntem sobre seus filhos e sobre a doença e estão dispostos a dar informações.

Se eles estão com raiva ou tristes (até o ponto das lágrimas), lembre-se que estes sentimentos não são necessariamente causados por você e nem dirigidos a você.

Se os pais estão deprimidos, hostis ou excessivamente ansiosos, uma abordagem unificada da escola e dos profissionais de saúde poderá ser reconfortante para os pais, o que, por sua vez, ajudará a incentivar a assiduidade do jovem na escola.

ACESSO RÁPIDO

ESTE ARTIGO TE AJUDOU?