238

242

Massagem pais/filhos a terapia emocional pelo toque

Como o toque é um sentido simples e poderoso, os membros do comitê de especialistas estabeleceram as bases para um programa de massagem adaptado a crianças com câncer. Concebido para ser realizado de forma independente pelas famílias, ele tem a finalidade de oferecer momentos que se pode compartilhar, de modo a apoiar o relacionamento entre pais e filhos

“Através deste programa ambicioso, valorizamos os pais, fornecendo-lhes habilidades reais e, acima de tudo, reforçando o elo frequentemente frágil nestes contextos críticos da doença grave. ”
Marie THÉRAIN, psicomotricista, departamento de Hematologia e Oncologia pediátrica, Hospital Armand-Trousseau

Reconexão de famílias comprovadas

Diante da excessiva natureza médica do ambiente de seu filho pequeno, os pais às vezes se sentem retirados de seu papel e até impotentes, temendo serem inaptos para tanto. Essa precaução somada ao desejo, mais ou menos consciente, de deixá-lo em paz entre as injeções, exames e outros cuidados, pode gerar uma distância física, que assim contribui ao isolamento não desejado e tampouco desejável.

“Eu fui absolutamente proibida de tocar minha filha por vários meses após o seu transplante de medula óssea. Eu a vi sofrendo e eu não podia pegá-la em meus braços, acariciar sua mão... Para eles e para nós, esses são momentos de intenso isolamento.”
Ruth Hoffman, Presidente da CCI

Um momento de calma emocional para melhorar a qualidade de vida: massagens adaptadas…

Sabe-se que o recém-nascido tem uma necessidade vital de ser tocado desde seu nascimento, a fim de promover seu desenvolvimento físico e mental. De fato, além de ser protetora, a pele é uma ótima área de troca. Trata-se de dar novamente à pele seu papel de conector e de segurança por meio da reciprocidade do toque. Como o toque é o único sentido a ter uma estrutura reflexiva (tocar é uma referência a ser tocado!), a massagem beneficia tanto o massageador como o massageado.

Além de fortalecer os laços familiares, o objetivo é ajudar a criança a passar pelos períodos de tratamento de forma mais serene. As terapias envolvendo massagens demonstraram seus benefícios contra o estresse, dor, náusea, exaustão. Diversos estudos mostraram que as massagens melhoram a qualidade de vida e o estado físico e emocional das crianças em tratamento.*

Os pais retomam plenamente o seu papel de cuidador por meio de um momento de massagens e abraços. Ele não está lá para buscar um tratamento, mas sim para ter um momento de ternura, quando ele se torna novamente, durante alguns gestos da massagem, apenas um pai.

“O jardim”, “A colônia de formigas”, “Os três corações”... Uma abordagem simples e divertida por movimento

Com essas virtudes identificadas, o grupo de trabalho dedicado ao projeto refletiu sobre as melhores formas de abrir o acesso à massagem em crianças com câncer, seja qual for o estágio da doença. Após extensa pesquisa bibliográfica, inúmeras reuniões de trabalho para a definição dos gestos e do âmbito para evitar qualquer risco, 7 especialistas envolvidos - sócio-esteticista, enfermeira geral, enfermeira puericultora, dançarina, psicoterapeuta, fisioterapeuta - desenvolveram um programa de “Massagem pais/filhos” por técnicas de movimento em uma abordagem cômoda e tranquilizadora, simples e lúdica.

Com "O jardim", "Os três corações", "Os olhos de Panda", "A serpente", "A pequena colônia de formigas” e "A locomotiva", as mãos dos pais atuam de modo não muito forte, não muito leve, não muito rápido e não muito lento, ao serem colocadas sobre os braços e mãos, pernas e pés, costas, rosto e cabeça.

Para facilitar a adesão dos pais e dos filhos e para que saiam da linguagem médica, que muitas vezes é fria, um guia foi concebido como um divertido jogo de tabuleiro que ao mesmo tempo lembra os pais e filhos sobre algumas contraindicações indispensáveis. Cada cartão descreve a massagem em detalhes e um botão colorido indica se a mesma é adequada para bebês.

Voltado ao mundo inteiro, o jogo foi concebido para se adaptar a todos os tipos de famílias e culturas.

“A mãe seguiu meus gestos em um braço e começou a reproduzi-los simultaneamente no outro braço. Juliane se acalmou rapidamente, deixando-se levar pelo relaxamento e prestes a cair no sono. A colônia das formigas veio para animar esses momentos calmos. Continuamos nas pernas com o pai, que estava orgulhoso e emocionado. Risos e lágrimas escaparam. Por fim, pudemos compartilhar algo que não fosse a doença ou os cuidados invasivos! ”
Isabelle Landeau, enfermeira puericultora, Hospital Mantes la Jolie

Dos cuidadores aos pais, fases de teste e implantação

Em dezembro de 2018, 5 sessões de teste foram conduzidas em centros-piloto pelos próprios membros do grupo de trabalho para coletar dados das reações das crianças e seus familiares próximos e para refinar o conteúdo do programa, se necessário.

O ensino de técnicas de massagem aos pais será passado pelos profissionais de saúde das instituições de saúde. Dois cuidadores voluntários treinados nos gestos do programa e que são referências reais no campo, poderão, por sua vez, treinar e acompanhar os pais nessa prática, que muitas vezes é nova para eles. Os vídeos tutoriais dão apoio ao treinamento.

Em 2019, o programa será implantado mais amplamente em nível nacional nas unidades de saúde, em parceria com a FHF e a Unicancer, e, em seguida, seguirá internacionalmente.

O grupo de trabalho dedicado ao projeto

  • Marie Therain, psicomotricista, Hospital Armand Trousseau
  • Isabelle Landault, enfermeira puericultora, Hospital Mantes la Jolie
  • Lise Vigneau, fisioterapeuta, Hospital Armand Trousseau
  • Valérie Petit, dançarina pedagoga
  • Elodie Desmoulins, enfermeira puericultora, CHU Toulouse
  • Gwenaelle De la marque, enfermeira puericultora, CHU Toulouse
  • Aurélie Delabre, sócio-esteticista

ESTE ARTIGO TE AJUDOU?